12 Semanas para mudar uma vida

12 SEMANAS PARA MUDAR UMA VIDA – SEMANA 07

terça-feira, novembro 20, 2018


O tema desta semana é: “trabalhar os papéis da Memória: reeditar o filme do inconsciente”, e o autor afirma que isto é descobrir os fenômenos básicos da caixa de segredos da personalidade: o processo de registro, arquivamento e utilização das informações da memória.
Também compreender a formação dos traumas e das zonas de conflitos inconscientes da memória, compreender o papel da emoção no processo de abertura do território de leitura da memória e na construção de cadeias de pensamentos; usar ferramentas para reeditar o filme do inconsciente e proteger a memória, além de filtrar os estímulos estressantes.

É importante perceber que o registro na memória é involuntário, diferente de como ocorre em um computador, por exemplo, que necessita de um comando do usuário.

“Cada ideia, pensamento, reação ansiosa, momento de solidão, período de insegurança é registrado em sua memória e fará parte da colcha de retalhos da sua história existencial, do filme da sua vida.”

Cury nos lembra ainda que a melhor maneira de filtrar estímulos estressantes não é tendo raiva. A propósito, quanto mais se tenta rejeitar uma pessoa ou situação, mais ela será registrada, será lida e construirá milhares de pensamentos. Aquela coisa do quanto mais se tenta esquecer, mais se lembra de algo ou alguém.
Então o autor afirma que a melhor maneira de filtrar esses estímulos é:
Entender, criticar, enxergar multifocalmente (vários ângulos), usar a oportunidade para crescer, e, determinar não ser escravo deles.
Ainda é ressaltado que a memória  não pode ser deletada. Daí a importância de trabalharmos a técnica D.C.D (duvidar, criticar, determinar) para transformarmos as emoções envolvidas nas memórias. Não é uma tarefa fácil, mas com treinamento, perseverança, meta e reeducação é possível.
Se por exemplo, verificamos impulsividade em nossos atos, principalmente com os mais íntimos, com os quais temos menos filtros, ou mesmo com fatos pequenos, que teoricamente não merecem tanto empenho nosso, ao começarmos a repensar essa impulsividade, nos perguntar porque agimos assim (duvidar), entendermos que estamos ferindo as pessoas ao nosso redor, ou que coisas tão pequenas nem justificam tanta intempestividade (criticar) e decidirmos que é necessário melhorar essa reação, aos poucos vamos nos livrando desse mecanismo de impulsividade. Não será da noite pro dia, mas aos poucos conseguimos mudar um hábito.
O mesmo deve acontecer com cada ato desagradável dos outros ou de alguma situação em relação a nós. Necessitamos filtrar a emoção que envolveremos em cada um destes momentos, porque a carga emocional envolvida vai determinar o quanto aquilo será registrado em nossa memória. Então a técnica D.C.D. é muito importante a cada emoção.
Então, temos mais uma lei da qualidade de vida estudada.

Confesso que tem ficado, cada semana, mais difícil.

You Might Also Like

0 comentários

Deixe seu comentário aqui!

Seguidores

Google+ Followers