12 Semanas para mudar uma vida

12 SEMANAS PARA MUDAR UMA VIDA – SEMANA 09

terça-feira, dezembro 11, 2018



Nesta 9ª semana, a lei trabalhada foi:
A arte do autodiálogo: a mesa redonda do “eu”.
A cada semana, as coisas ficam mais profundas, se encaixam melhor, fazem mais sentido... Contudo, é complexo.

Semana 8 foi tratado sobre a importância do diálogo com o próximo. Agora, trata-se do diálogo consigo mesmo: o autodiálogo, a Mesa Redonda do “eu”, o que o autor explica que é:
Um debate lúcido, aberto e silencioso que o “eu” faz com seu próprio ser, Uma reunião com a nossa própria história; Uma intervenção direta em nossos traumas, conflitos, dificuldades, temores.
Uma revisão de metas, reavaliação de postura de vida, exercitando plenamente a capacidade de decidir, questionar, dirigir a própria história. Tornar-se um grande amigo de si mesmo.
Esta lei, de acordo com o autor, é um dos exercícios intelectuais mais importantes do ser humano, porém um dos menos praticados.
A sabedoria do homem não está em seu diploma ou em um negócio de sucesso, mas na sua capacidade e frequência de fazer uma mesa-redonda consigo mesmo.
A capacidade de ser companheiro de si mesmo tem sido perdida a cada geração.
“Não é possível sermos autores da nossa história, gerenciarmos nossos pensamentos, administrarmos nossa emoção, enfim, desenvolvermos qualidade de vida se não termos coragem e capacidade para fazer  uma mesa-redonda em nosso interior para debatermos com inteligência nossos próprios problemas e revisarmos  nossos caminhos.” Cury
A mais grave solidão...



Já passei por um momento muito crítico, em que, ou me negava a falar comigo mesma, ou quando não era capaz de dialogar, de fato. Quando não queria me questionar, sobre um novo caminho, uma nova perspectiva, uma nova vida. Foi o momento em que mais me senti sozinha. Em um silêncio negro e profundo.
Ainda não superei e acredito que ainda demore. Mas a própria decisão de começar este PAIQ foi o início da minha mesa redonda. Voltei a conversar comigo num diálogo mais sobre o como estou aqui ainda? E como continuar e melhorar, então?
O autor fala dobre o método D.C.D. (duvidar, criticar, determinar), utilizado nos momentos de tensão é sobre a Mesa Redonda do Eu, para fora dos momentos de tensão, e, para sempre, a fim de evita-los cada vez mais.
E é isso que tem me ajudado. Meu questionamento sobre a minha vida, meus valores, minhas relações com os outros.
Comecei a questionar o buraco onde estava, sobre a importância ou não sair dele, e, finalmente, decidir e buscar a forma de sair dele. Duvidei, critiquei e determinei sair dele.
Na Mesa-redonda comigo mesma consegui abrir as janelas das boas lembranças de como me coloquei importante na vida dos outros, janelas das pessoas que são importantes para mim, dos sonhos que eu tive e dos bons e felizes momentos que tive com alguém tão especial e importante.
Em contrapartida, essas foram se tornando mais imponentes à frente das janelas Killers traumáticas, tristes e aterrorizantes que tenho.
Ainda se abrem... Me causam crises de choro, ansiedade e tristeza profundas, mas tenho me condicionado e canalizar os pensamentos às janelas saudáveis.
E tenho buscado um novo plano, novas metas... Tentado ser autora da minha vida.
Ainda não assumi as rédeas completamente, mas aos poucos tenho me erguido.
Com certeza é uma das leis mais importantes, e, mais complexas, também.

Até o próximo post!

You Might Also Like

0 comentários

Deixe seu comentário aqui!

Seguidores

Google+ Followers